17 de julho de 2017

Quinta do Ameal

A Quinta do Ameal é muito mais do que um hotel, uma casa de campo, um turismo rural ou um enoturismo. A Quinta do Ameal é o lugar que todos gostariam que fosse seu.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Este foi o ano que finalmente conheci Ponte de Lima. Durante três dias percorri as suas ruas, atravessei várias vezes as pontes e provei deliciosas iguarias. Mas se foi difícil acertar na data, escolher o lugar onde ficar foi extremamente simples.
O GPS levou-me pelo percurso mais longo (e pior) e ainda assim encontro sinalética com indicações para a Quinta do Ameal. À entrada do portão vejo das videiras mais jovens.O logotipo que conheço das garrafas não deixa enganar: cheguei.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
O caminho até à casa principal não é longo mas percorro-o muito devagar e de janela aberta. As glicínias estão todas floridas e o cheiro é contagiante. Estaciono junto ao jardim, onde o Pedro Araújo me recebe como se fosse uma visita de sua casa e não uma hóspede. Acompanha-me à minha suite e começo de imediato uma experiência de rusticidade genuína que antevejo única.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
A primeira sensação é de espaço: um quarto amplo, com casa de banho contígua, onde a banheira junto da janela capta logo a atenção. Além dos dois lavatórios, roupões, chinelos e de todas as amenidades, o enorme chuveiro para um banho partilhado é simplesmente maravilhoso.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
A cozinha está bem equipada para quem quiser confeccionar uma refeição e não se deslocar a Ponte de Lima. Nos dias frios, a salamandra na sala criará um ambiente perfeito mas como o dia é de calor, vou conhecer um dos melhores espaços da minha suite: o jardim privativo. Olho para a mesa e imagino que serão aqui todas as minhas refeições, enquanto sinto os aromas da natureza, o som dos pássaros e avisto a serra que me lembra das minhas origens.
Reencontro o Pedro ao fim da tarde, que me acompanha numa visita pela Quinta do Ameal e me conta mais sobre a sua história. Adquirida na década de 90, após a venda da Ramos Pinto, (Pedro Araújo é bisneto de Adriano Ramos Pinto), com um objetivo muito claro: fazer grandes vinhos brancos a partir da casta Loureiro. Houve críticas, desincentivos mas Pedro manteve a sua ideia e rodeou-se de profissionais competentes: Anselmo Mendes na enologia e João Paulo Gouveia na viticultura. O resultado está à vista. A Quinta da Ameal é um projeto muito acarinhado por hóspedes e imprensa e os vinhos têm recebido excelentes pontuações dos melhores críticos.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Junto à Casa entre Bambus e Vinhas ficam alguns dos 15 hectares de vinha. A mais antiga tem cerca de 20 anos mas Pedro já avançou com replantações. Um sinal evidente da necessidade de expansão. Esta casa é indicada para famílias ou dois casais. Os bambus dão-lhe um toque exótico e os chuveiros exteriores remetem para paragens orientais.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Junto à casa principal fica a adega, pequena e simples, segundo Pedro Araújo. É aqui que ocorre todo o processo de vinificação.
– Para fazer brancos precisamos de três coisas: uma boa prensa, higiene e frio.  E depois inspiração.
E é com este pensamento que regresso à sala comum da casa vermelha para a prova. Pôr do sol, uma leve brisa, jazz, três grandes vinhos e boa companhia. Inicio com um Ameal Clássico 2016, que ao ser servido, sinto logo a presença da casta loureiro, sem recurso a aromas adicionais. É feito a partir de uvas provenientes de toda a vinha, fermentadas em cubas de inox com temperaturas controladas e estágio de 4 a 6 meses em barrica.
Seguiu-se um Ameal Solo Único 2015, feito a partir de uvas provenientes de uma parcela que ficou afastada da quinta mas não esquecida. A ideia foi fazer um vinho com a menor interferência possível a nível enológico, o que lhe confere uma enorme personalidade. Uma verdadeira homenagem a este solo, com a mineralidade bem evidente.
Ao ver o Pedro servir-me o vinho, questiono-o sobre o rótulo. A imagem é proveniente de um livro de viticultura do século XV e o amarelo dá-lhe um toque clássico.
– Um vinho tem de ter qualquer coisa de tradicional. –  afirma.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Termino com um Quinta do Ameal Escolha, que foi o primeiro vinho da casta loureiro a ser fermentado em barrica de carvalho francês, isto no ano 2000. É um vinho muito interessante porque tem presente notas da casta e da madeira mas sem uma ofuscar a outra. É um vinho mais gastronómico, ideal para acompanhar queijos ou peixes mais gordos.
Três vinhos a partir da mesma casta, da mesma vinha e totalmente diferentes. São vinhos de nicho, feitos sobretudo na vinha e muito pouco na adega. Sempre com um discurso muito terra a terra, sem demagogias nem a puxar dos galões, é visível o orgulho de Pedro Araújo nos seus vinhos.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
À hora combinada encontro o cesto com o pequeno almoço à entrada da minha suite. É o primeiro lugar onde fico com este conceito. Acho ótima a ideia de não ter de me ausentar de um espaço tão especial mas faltou-me algo, como uma fatia de bolo caseiro.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Com o pequeno mapa, aventuro-me pelos caminhos da quinta, apesar de não haver riscos de me perder, uma vez que todo o perímetro está murado. Começo por explorar os oito hectares de mata (existem pinheiros com mais de 200 anos), sempre com o som forte do rio Lima por perto. Há várias zonas de descanso, ótimas para uma leitura, um copo de vinho ou simplesmente estar e sentir, preferencialmente em boa companhia.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Dedico o resto da manhã a preguiçar. Uma volta ao redor da piscina, experimento a temperatura da água e regresso à espreguiçadeira e às leituras. Há vidas piores.

Quinta do Ameal, vinhos quinta do Ameal, vinho casta Loureiro, vinhos Ponte de Lima, enoturismo Ponte de Lima, vinhos Pedro Araújo
Quinta do Ameal – Soc. Agr. S.A.
4990 – 707 Refóios do Lima – Ponte do Lima
www.quintadoameal.com

0 comentários:

Enviar um comentário