26 de março de 2017

Il Mercato

No Páteo Bagatela, o Il Mercato é o último projeto de Tanka Sapkota que junta no mesmo espaço o melhor da massa fresca e de produtos italianos selecionados.

Il Mercato, restaurante Tanka Sapkota, restaurante italiano Páteo da Bagatela
A ideia era simples: passar o dia em família com atividades para todos. Começava com a exposição dedicada a Almada Negreiros, seguia-se um almoço no Ground Burger e terminava no jardim da Gulbenkian para o meu filho correr livremente atrás do patos. Para minha surpresa, a fila no museu já chegava ao piso –1 e o restaurante encerra ao Domingo. Meio dia e meio, a fome a começar a apertar e agora o que fazer? Ir comer “qualquer coisa” estava fora de questão mas bastou alguns minutos para encontrar uma alternativa: vamos ao Il Mercato. 12h40 ligo para o restaurante.

Il Mercato, restaurante Tanka Sapkota, restaurante italiano Páteo da Bagatela
– Boa tarde. É possível reservar uma mesa para as 13 horas?
– Boa tarde. Só um segundo que vou confirmar. Para quantas pessoas?
– Dois adultos e um bebé.
– Pode ser uma mesa para duas pessoas no topo?
– Sim, desde que dê para colocar uma cadeirinha de bebé… Têm alguma?
– Sim, claro. Então está marcado. Até já!
Chego em boa altura, ainda antes das 13 horas. Aguardo à porta até uma senhora se dirigir a mim. O sotaque italiano é evidente. Como é a primeira vez no Il Mercato, dá-me algumas explicações sobre os produtos italianos vendidos na mercearia, que vão desde a massa fresca, ao azeite, vinagre balsâmico, polenta, feijão, arroz e charcutaria.
– E cantuccini?
– Também. Temos dois tipos.
– Então vou primeiro almoçar e já cá passo à saída.

Il Mercato, restaurante Tanka Sapkota, restaurante italiano Páteo da Bagatela
A prioridade era dar a sopa ao meu filho que levei de casa. Instalei-o na cadeira e tentei ao máximo afastar tudo dele, em especial os bonitos copos de vinho que imaginei partidos no chão. Chega à mesa uma focaccia com azeite e vinagre balsâmico (1,80€) que só à terceira vez consigo aceitar. O mesmo acontece com a escolha do prato, apesar da insistência.
– Enquanto não der o almoço ao meu filho não tenho oportunidade de ver.
Há um menu de degustação que muda diariamente e que inclui um antipasto, dois pratos, sobremesa, café e tem um custo  de 19,95€. Mas para esta ocasião algo mais simples é o ideal. Opto por partilhar uns ravioli di carne e prosciutto di parma com molho de tomate caseiro, manjericão e parmigiano DOP (12,95€), seguido de bucatini con ragu, com carne de vitela, molho de tomate caseiro, ervas frescas, pecorino e parmigiano reggiano (12,95€). Entre desenhos vou deitando o olho ao espaço. Apesar de estarmos no Páteo da Bagatela, parece que se tentou meter o Rossio na Betesga. Há excesso de mesas (a do lado está praticamente colada à minha), a sala é bastante barulhenta e já se formou uma pequena fila. Penso na sorte que tive.
E rapidamente chegam os pratos. O aroma é incrível. Os raviolis estavam muito saborosos e desapareceram num ápice mas o bucatini estava fenomenal. Só comi algo semelhante em Florença e nunca consegui voltar a sentir este sabor noutro lugar.

Il Mercato, restaurante Tanka Sapkota, restaurante italiano Páteo da Bagatela
– E sobremesa vão desejar?
Eu já tinha visto que havia tiramisu (4,50€) e escolhi também um oro nero (4,25€) que me dizem ser um bolo de chocolate. Ambos bons mas sem surpreender, até porque gosto do meu tiramisu com um ligeiro travo alcoólico.

Il Mercato, restaurante Tanka Sapkota, restaurante italiano Páteo da Bagatela
Ainda estava a meio da sobremesa e já me perguntam se quero café. Olho para a porta: a fila já chega à rua.
Num outro lugar este seria o tipo de pormenores que me deixariam descontente mas os sabores genuinamente italianos superam. O ideal é regressar daqui a uns meses, talvez para o verão, para apreciar a esplanada.
 
Il Mercato
Rua da Artilharia 1, 51
Páteo da Bagatela
1250-038 Lisboa



0 comentários:

Enviar um comentário