17 de janeiro de 2017

Já pode provar o mundo no Seixal

Abriu há cerca de um mês e já é uma referência no Seixal. À frente do Mundet Factory está João Macedo, ex-concorrente do Masterchef, que promete uma cozinha exótica, dos quatro cantos do mundo.

Mundet Factory, restaurante João Macedo, cozinha do mundo, restaurante Seixal
Passam poucos minutos das 13 horas e atrás de mim formou-se um pequeno grupo. Empurro a porta, cujo puxador é uma chave de porcas e entro no Mundet Factory.
– Boa tarde. Mesa para 8?
– Boa tarde. Não, somos 2 com um bebé.
– Então entrem nessa porta à direita (atenção que é de correr) que já os acompanham à mesa.
A sala inundada por um quente sol de inverno está praticamente cheia, com algumas mesas já reservadas. É João Macedo quem me recebe.
Com o mais novo devidamente instalado, alimentado e de lápis e papel na mão, pronto para mais um desenho, olho então para a ementa. A carta, cuja capa é de cortiça (ou não estivéssemos no antigo refeitório da Mundet & Sons, que no seu tempo foi a maior exportadora de cortiça mundial) apresenta propostas de vários países, como México, Índia, Turquia, Bélgica, Itália ou Brasil. Para quem se sinta desconfortável com esta cozinha do mundo e prefira um porto seguro,  João Macedo apostou em três ingredientes para representar Portugal: o choco, o bacalhau e o leitão. Há também as pizzas, todas com nomes de mulheres, uma estratégia pensada para criar à mesa um ambiente de boa disposição. Já me tinham garantido que são realmente boas e por isso peço uma Cátia e uma barriga de leitão.

Mundet Factory, restaurante João Macedo, cozinha do mundo, restaurante Seixal
De volta de um banana chip’s com dip (2,5€) observo o espaço. As rodas da bicicleta exposta à entrada dão o mote para o que por aqui se come: world food and more. Há alguns objetos antigos mas felizmente não se caiu na tentação de encher as paredes de ferro velho. O mais curioso são os dois sobreiros que brotam de cilindros de cabos elétricos, em cujos ramos “nasceram” marmitas em cortiça. A azáfama é grande, com a casa cheia e sem mãos a medir. Não há correrias mas sente-se que se quer servir sem demoras. Da cozinha aberta oiço os pedidos. O pizzaiolo vai controlando as suas meninas no forno a lenha, que entram e saem a velocidade cruzeiro.
Chegam finalmente os pratos à mesa. A Cátia vinha bem quentinha, com a panceta a evidenciar-se, assim como o pesto de manjericão e o tomate seco (9€). Os sabores são fortes e combinam muito bem. A barriga de leitão a baixa temperatura com puré de batata roxa doce (12€) é visualmente muito apelativa, com bom contraste de cor entre o laranja e o roxo.

Mundet Factory, restaurante João Macedo, cozinha do mundo, restaurante Seixal
Como sobremesa propõe-se o regresso às memórias da infância, pelos doces sabores da Feira Popular, com churros, algodão doce ou pipocas. Eu escolhi um cheesecake de mirtilos e pipoca (4,5€) que já de si é uma experiência lúdica, servido num pacote de cartão.

Mundet Factory, restaurante João Macedo, cozinha do mundo, restaurante Seixal
Já depois do repasto, converso um pouco com João Macedo para conhecer melhor este projeto. O seu gosto pelas comidas do mundo surgiu em criança: ter um pai cabo-verdiano, família nos quatros cantos do mundo e poder viajar desde cedo permitiram-lhe contactar com outras realidades. Pensar no seu gosto pessoal e adaptá-lo à antiga fábrica foi simples.
– A Mundet, enquanto maior exportadora de cortiça chegou aos quatro cantos do mundo. O meu desafio enquanto chef é trazer o mundo cá.
O espaço abriu em Dezembro e ainda está numa fase de aprendizagem mas o objetivo é alterar a carta a cada três meses, de forma a proporcionar novas experiências. Estas serão ainda mais potenciadas pela vertente cultural que vai regressar, com o Março Jovem, o SeixalJazz, exposições e concertos de bandas locais.

Mundet Factory
Praça 1º de Maio
2840 Seixal

0 comentários:

Enviar um comentário