11 de janeiro de 2017

Casas do Côro: das ruínas ao requinte

Na aldeia histórica de Marialva, as Casas do Côro são o resultado do desejo de Cármen e Paulo Romão criarem um lugar singular, que juntasse a arte de bem receber beirã, a uma experiência enogastronómica, num ambiente exótico.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
O desejo de conhecer as Casas do Côro já era antigo. Achei que ideia de recuperar casas em ruína e transformá-las numa fusão de rural com um toque de glamour, sem nunca esquecer o conforto, eram motivos suficientes para me levarem à aldeia histórica de Marialva.
A grande janela no Largo do Coro indica-me que é uma das casas que ganhou nova vida. Dirijo-me à receção para o check-in e antes de me conduzirem à casa onde vou pernoitar, acompanham-me numa pequena visita para conhecer os espaços: a sala de jantar, do pequeno almoço e o jardim ainda com as cores do outono.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Por caminhos empedrados, entre casas e muros de pedra, subo as pequenas escadas, cruzo o portão e entro no Refúgio das Fragas, uma das mais recentes, inaugurada em 2015. A figura feminina lembra-me o Retrato da Duquesa de Urbino que vi em Florença. É uma verdadeira casa, com sala de estar, jantar e kitchenette totalmente equipada.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
No primeiro andar fica o quarto com uma cama para onde apetece de imediato saltar. Corro as cortinas para ver a torre do castelo de Marialva. Talvez haja quem se sente junto à pequena janela “namoradeira” e ligue a enorme televisão mas eu tento, ainda que não seja fácil, ignorar que existe neste espaço tão bonito. O dia de inverno, com uma ligeira brisa fria, não permite disfrutar do terraço mas nos dias mais quentes será com certeza um espaço de eleição. São tantos os pormenores antigos e moderno de decoração que me perco entre lustres, almofadões, quadros e crucifixos, que no seu conjunto criam um ambiente exótico. Em todos os espaços, a limpeza é imaculada.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Apesar de ter todas as condições para aqui relaxar, incluindo uma banheira de hidromassagem, não deixo de conhecer o spa que me garantem ser imperdível. E é, sem dúvida. Há uma ala reservada a quem opta pelos tratamentos, como a cromoterapia, aromoterapia, ou um jacuzzi para dois, que termina na sala de relaxamento, com uma carta de chá japonês exclusiva, de modo a equilibrar o corpo. Eu optei pelo circuito, que inclui o acesso à piscina de água aquecida com ligação ao exterior e ao banho turco e sauna com janelas panorâmicas para o jardim. O ex-libris é o salão, destinado apenas a clientes do spa. Não é fácil (nem desejável) transmitir o quão fabuloso é este espaço, mas posso adiantar que a lareira suspensa rotativa, o bar, os inúmeros livros e revistas, os sofás e cadeirões ou o Champagne Louis Roederer elevam a experiência do circuito, que de si é já fabulosa.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Vestida a preceito, regresso à sala de jantar para a conhecer “com vida”. A lareira acesa dá-lhe um aconchego caseiro, juntamente com a arte de bem receber, os loiceiros repletos, as fotos de família e as mesas postas individualmente com enorme bom gosto.
Em modo de boas vindas, comecei com uma bola de azeitonas com queijo da Serra, acompanhada por um espumante Quinta do Encontro. Seguiu-se um folhado de espargos selvagens com doce de pêssego e aguardente velha. Foi harmonizado com um Casas do Côro rosé 2015.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Por esta altura, e como sabia atempadamente dos pratos que iriam ser servidos, já fazia contas ao espaço disponível no estômago e pedi para não me servirem a sopa.
– Eu trago-lhe menos quantidade mas acho que deve mesmo provar. Vai gostar de certeza.
E gostei. O creme de cenoura estava tão macio que parecia um autêntico veludo.
Para prato principal veio uma vitela mirandesa no barro com redução de Vinho do Porto e canela, acompanhada de batata assada em azeite virgem e rolo legumes. Quem goste de comer muito talvez fique desapontado, ainda que por diversas vezes me perguntem se desejo um pouco mais. Do buffet de sobremesas destaco sobretudo a leveza do bolo do chocolate, ainda que haja opções de fruta, queijos e doces. Nunca me tinham servido jeropiga mas achei a ideia e combinação muito interessante.

Casas do Côro, aldeia histórica de Marialva, experiência Casas do Côro, turismo rural
Depois do jantar, convidam-me a um passeio pedestre pela aldeia. Como estava frio e a ameaçar chuva optei por não o fazer. Talvez nessa noite tivesse sido melhor ficar mais um pouco neste espaço de eleição, ao calor da lareira, com um vintage e um livro ou à conversa com outros hóspedes. É realmente pena só poder disfrutar desta sala durante o jantar. No regresso à minha suite dou-me conta do silêncio. É um misto de profundo e envolvente. Acendo a lareira e coloco a manta de lã sobre as pernas. Com a televisão a não querer colaborar pensei numa alternativa: corri os estores elétricos e deixei-me envolver por estes braços de pedra, imaginando histórias passadas e sentido o tempo passar bem devagar.

Casas do Côro
Largo do Côro
6430-081 Marialva
www.casasdocoro.pt

0 comentários:

Enviar um comentário