4 de novembro de 2016

A tradição piscatória na Nazaré

Na Praia da Nazaré, a exposição de embarcações antigas e a secagem do peixe recordam como era a atividade piscatória noutros tempos.

A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
A marginal da Nazaré é dos locais mais movimentados da vila. Além dos espaços comerciais e de restauração, há dois atrativos fortes: a secagem do peixe e a exposição de barcos. De modo a preservar este património cultural, procedeu-se à sua recuperação e podem agora ser admirados por todos. Este conjunto de embarcações contempla desde os barcos tradicionais de arte xávega, com a proa em bico elevado, até à barca “Mimosa”, destinada ao transporte da sardinha para terra, sem esquecer a barca salva vidas “Nossa Senhora dos Aflitos”, que deixou de estar em atividade em 1977.

A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
Quando o peixe chegava à praia era transportado para a antiga lota, mesmo em frente, que hoje transformaram no Centro Cultural da Nazaré. Desde que a mudaram para o Porto de Abrigo há menos pessoas mas ainda restam alguns compradores ou simples curiosos a espreitar a secagem do peixe. Esta antiga tradição remonta à necessidade de o conservar para o Inverno mas ainda há algumas peixeiras a fazê-lo no areal.

A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
Sob um sol que não dá tréguas, vestidas com os trajes típicos nazarenos (ou de preto para recordar uma dor que nunca passa), colocam um lenço sobre a cabelos apanhados e de mangas arregaçadas, arranjam ali mesmo o peixe. Depois de amanhado, salgado e escalado é colocado a secar nos paneiros. O tempo que está ao sol vai determinar o seu aspeto final. Entre dois a três dias o peixe fica seco mas se estiver menos tempo está apenas enjoado. Predomina a secagem do carapau mas nas redes também se encontra sardinha e polvo. Os mais pequenos podem comer-se crus mas os de maiores dimensões são ideias mais cozer com batata ou assar na brasa.

A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
A D. Francelina Quinzico é a mais conhecida, pelas várias participações em programas de televisão. São muitas as abordagens para a fotografar mas só tira os olhos do peixe para atender algum cliente.
A secagem do peixe é uma arte sobretudo de mulheres. No entanto, os tempos são outros e os homens, que antes se dedicavam à pesca e construção dos paneiros, dividem hoje os trabalhos.

A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré
A tradição piscatória na Praia da Nazaré, exposição barcos Nazaré, secagem peixe Nazaré

0 comentários:

Enviar um comentário