16 de setembro de 2016

Iluminar a alma no Luz Houses

Em Fátima, o Luz Houses é um boutique hotel que recria as aldeias locais de outros tempos em perfeita comunhão com a natureza.
 
Luz Houses, Luz Charming Houses
Este ano o regresso de uns dias de férias no norte tiveram uma paragem para conhecer o Luz Houses, em Moimento, Fátima. Pedro Silva e Ana Alves pegaram nas suas memórias de infância e criaram um espaço que nada tem a ver com a oferta de alojamento na região. Misticismo não falta ao lugar, que pertenceu ao bisavô de Pedro, padrinho da Irma Lúcia. Foi aqui que a última pastorinha terá visto o “vulto da estrumeira”.
Quando atravesso o portão, sinto-me numa recriação arquitetónica das aldeias locais desde o século XVII até aos anos 30 do século passado. Na casa mãe localiza-se a receção. O check in é ligeiramente diferente. Não é só aqui que enquanto tratam da parte burocrática me convidam a descansar e me oferecem uma bebida fresca e biscoitos. A diferença reside no modo, no cuidado e atenção que me faz verdadeiramente sentir em casa. Todos os hóspedes são especiais.

Luz Houses, Luz Charming Houses
Apresentam-me o espaço. Na sala de estar pode-se ler, ver televisão ou tentar resolver um dos vários quebra cabeças espalhados. Eu olho sobretudo para a lareira e imagino-a acesa nos dias de inverno, quando apetece estar dentro de portas. Aqui fica também o honesty bar onde é possível tomar uma bebida e anotar a despesa no livro dos calotes a recordar o antigamente. A pequena mercearia contempla alguns exemplos da nossa portugalidade, como o azeite, mel, vinho, calçado, roupa e objetos decorativos.

Luz Houses, Luz Charming Houses
Passo pela árvore dos sentidos onde os hóspedes são convidados a deixar uma mensagem num pequeno coração. Quando entro na sala de refeições confirmo a minha primeira impressão: nenhuma foto que vi até ao momento conseguiu captar a beleza, luz e sensação de aconchego que sinto no Luz Houses.

Luz Houses, Luz Charming Houses
A humildade exterior das casas nada tem a ver com o seu conforto. Fico num quarto superior, onde a ausência de espaços fechados, como um roupeiro ou paredes de casa de banho, lhe conferem uma dimensão maior. Sinto falta de umas cortinas nas janelas para poder disfrutar da luz natural sem comprometer a privacidade.
Antes que o sol se vá, procuro a piscina recentemente inaugurada, que trouxe ao Luz Houses mais um local para disfrutar em família. É um pouco diferente, mais parecida com um tanque para alimentar os animais. Esta aposta valeu-lhe uma distinção nos Prémios 2016 Inovação na Construção.

Luz Houses, Luz Charming Houses
No espaço que recorda como eram as eiras onde se secavam os cereais serve hoje de lounge, com sofás e espreguiçadeiras. Fico-me pela rede de pano, a balançar bem devagar, enquanto o meu filho dorme sob o fresco das azinheiras.
Volto aos percursos marcados, seguindo os balidos que cada vez se aproximam mais. As ovelhas vêm ao meu encontro, esticando as cabeças para uma carícia. Percorrem todas as mãos, como se ainda fossem poucas.

Luz Houses, Luz Charming Houses
De regresso ao quarto, cruzo-me com alguns hóspedes que também exploram esta pequena aldeia. Reparo na evolução das casas, nos alpendres triangulares de lajes, nas janelas, nos muros de pedra e termino na ermida.

Luz Houses, Luz Charming Houses
Luz Houses, Luz Charming Houses
Luz Houses, Luz Charming Houses
O Luz Houses não tem restaurante mas quem preferir ficar por cá não passará fome. Começo por uma sopa, que é também o prato escolhido pelos diversos pais que entretanto chegam para jantar. Depois de devidamente alimentados, abrem-se as grandes portadas e começam as brincadeiras entre crianças. A língua não é problema já que a diversão é universal. Há uma mesa grande ao centro mas quem está nas individuais acaba à conversa. Entre tábuas de queijos, enchidos, vinho e um gelado de noz, bolacha e caramelo, a noite acabou por ser bem animada. Quando se partilham experiências, saímos sempre mais ricos.
No fim de jantar volto a percorrer os carreiros. As árvores estão rodeadas por mangueiras luminosas, que apesar de as associar ao Natal, ficam lindamente e têm um efeito decorativo e funcional.

Luz Houses, Luz Charming Houses
A casa mãe abre apenas às 9h, momento em que é servido o pequeno almoço. Reparo que as mesas estão preparadas para receber cada hóspede, com o número exato de cadeiras, incluindo as das crianças. Pequenos pormenores que fazem toda a diferença. Há diversos tipos de pão, croissants, sumos naturais, charcutaria e fruta. Pedindo servem também panquecas, ovos mexidos, leite de soja e batidos. Fico rendida aos torrões de açúcar em forma de coração.

Luz Houses, Luz Charming Houses
Luz Houses, Luz Charming Houses
Regresso à sala de estar onde converso um pouco com o Pedro. O sorriso na voz nota-se a cada bom dia com que recebe ou se despede dos hóspedes, já que a hora é também de partida. Felicito-o por este espaço que excedeu todas as minhas expectativas. Levava planos para regressar a Aljustrel, jantar num restaurante local e sair logo pela manhã. A verdade é que só ao meio dia quando faço o check out me apercebo que nunca abandonei o Luz Houses. Sinto que não estive num hotel mas a viver uma experiência que mais se assemelha à casa de um amigo ou familiar. Tudo me foi apresentado com um genuíno sentido de bem receber. O tempo poderia parar e seria aqui feliz.
 
Luz Houses
Rua Principal nº 78, Moimento
2495-650 Fátima
www.luzhouses.pt

0 comentários:

Enviar um comentário