27 de julho de 2016

Burgos: entre o passado e o futuro

Localizada na região de Castilla y Léon, em Burgos sente-se o tempo. Conserva ainda algum do património medieval mas o Museo de la Evolución Humana faz a ponte entre o passado e o futuro.

Arco de Santa Maria Burgos Espanha
Não fosse uma road trip por França e ainda não teria conhecido Burgos. São os chamados acasos felizes, a mostrar que saindo das rotas mais óbvias a recompensa pode ser enorme.
Uma cidade ganha um charme extra sempre que é atravessada por um rio. Da janela do meu quarto, face a uma gárgula petrificada pela vista, vejo o Arlanzón que corre sereno. É para lá que me dirijo, atravessando a ponte que dá acesso direto ao Arco de Santa Maria. Faz-me lembrar a de Amarante, com a diferença de que esta é apenas pedonal. Vê-se que o arco foi restaurado. São inúmeras as fotos aqui tiradas em jeito de cartão postal.

Catedral de Burgos
Chego à Plaza Rey San Fernando com as suas casas de tons fortes e esplanadas cheias. É hora de almoço em Espanha, tardia para Portugal. O trem turístico circula vagarosamente, para quem não quer calcorrear as ruas e suportar o calor. Subo a escadaria até à Plaza Santa María. Os bancos de pedra seriam convidativos para contemplar a fonte e a fachada da catedral de Burgos. O único senão é o conjunto de convidados que aguardam os noivos. Sente-se um burburinho no ar.

Catedral de Burgos, Plaza Santa María Burgos
A entrada na catedral inclui um audioguia. Há muito que deixei de os levar mas nesta visita é um aliado precioso. Não é ao calhas que a catedral de Burgos está classificada como Património da Humanidade pela UNESCO. Construída em estilo gótico, comtempla um sem número de tesouros que seria uma pena não conhecer: altares, a escadaria, estatuária, os túmulos ou a cúpula estrelada que faz vencer as dores e inclinar o pescoço para trás. Gosto sobretudo do pórtico a representar a porta do paraíso perdido pelo homem e recuperado por Cristo e do papamoscas  que abre e fecha a boca a cada badalada.

Catedral de Burgos
De regresso à Plaza Rey San Fernando e a recordar a importância de Burgos no Caminho de Santiago, está a  estátua “O Peregrino”, sentado num banco, com a vieira e o bastão. Não lhe faltam as mazelas inerentes a quem por uma fé inabalável não se deixa vencer e leva a sua jornada até ao fim.

Plaza Rey San Fernando Burgos, estátua Peregrino Burgos, Caminho de Santiago
Encontro alguns destes símbolos no centro histórico, quando elevo o olhar para admirar os tons que se mantêm fortes nas casas, em geral bem cuidadas, com pequenas varandas floridas. À semelhança dos antigos cafés de Madrid, alguns exibem painéis de azulejos à entrada.
A chegar à Plaza Mayor, a estátua “O Leitor” parece não se importar com o ruído constante dos vários espaços de restauração. A Sombrereria Teodoro, com os seus genuínos chapéus do Panamá, oriundos do Equador, destaca-se. A hora é de calor mas ainda há quem resista nos bancos corridos e usufrua do wi-fi gratuito. Na antiga Casa Consistorial funciona hoje o Ayuntamento de Burgos.

Plaza Mayor Burgos
Para uma apaixonada por documentação e livros em geral, aguardo pacientemente a abertura do Museo del Libro, que tem entrada gratuita para quem tiver adquirido o bilhete da catedral. É uma viagem pela história do livro com atividades para os mais novos.
Mas o “museu” de Burgos é o Museo de la Evolución Humana. Passo pela Estatua del Cid e atravesso de novo o Arlanzón pela Puente de San Pablo. Assim como os pináculos da catedral se distinguem dos restantes edifícios, também este museu vale pelo projeto arquitetónico. O tema do MEH é a evolução da espécie e recomendo três áreas: os fósseis originais provenientes de Atapuerca, a galeria dos hominídeos e a reprodução do Beagle, o barco que levou Charles Darwin às Ilhas Galápagos.
Termino o dia no Paseo Espolón. São imensas as famílias que aqui passam o fim de tarde, com os seus filhos a correr e andar de bicicleta, entre os grandes plátanos. Pudessem estes falar e contariam que assim é há várias gerações.

Paseo Espolón Burgos
Para a manhã seguinte deixo o Monasterio Santa María Real de las Huelgas. As visitas são guiadas e tenho de correr para apanhar o grupo que já saiu da bilheteira. No mosteiro ainda moram algumas monjas de Ordem de Cister mas são vários os espaços visitáveis. Um dos aspetos que o distingue dos restantes, é que, quando foi construído no século XII, foi pensado para Panteão Real. Aqui encontram-se sepultados o rei Alfonso VIII, a rainha Leonor de Plantagenet e os seus descendentes. Achei curiosa a capela de Santiado, com uma grande imagem articulada do santo, destinada a armar cavaleiros. A visita termina no Museo de Telas Medievales, detentor da melhor coleção de tecidos civis da Idade Média, provenientes dos túmulos deste mosteiro.

Monasterio Santa María Real de las Huelgas

14 comentários:

  1. Visitei Burgo há uns 20 anos numa viagem que fiz com os meus pais. Ainda tenho na memória a colossal catedral! Espanha tem imensas cidades bonitas e há algumas deles onde gostaria de regressa, como Burgos e Salamanca. Acho que esta página me vai ajudar a planear a visita.

    ResponderEliminar
  2. Quantas histórias! E que sítio bonito e lindas imagens! Ainda não fui mas já queria ir, agora ainda fiquei com mais vontade de fazer malas e ir :D Boas viagens

    ResponderEliminar
  3. Vivo em Espanha há 7 anos e ainda não visitei Burgos. Podes acreditar? Há muito tempo que quero ir, principalmente pelo “Museo de la Evolución Humana”, mas por alguma razão esta foi uma viagem eternamente adiada... De este ano não passará! Parabéns pelo artigo. Foi o empurrão que necessitava. ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mal (ou bem) de Espanha é tem tantas cidades interessantes para visitar. Burgos fica um pouco mais afastada e por isso foge às rotas mais tradicionais. O Museu da Evolução Humana é fabuloso, não só pela exposição de Atapuerca mas pelo conceito geral. Acho que vais adorar a cidade.

      Eliminar
  4. Estou encantada! Não conheço Burgos, e não sabia que era uma cidade tão bonita, vou já anotar para a minha próxima viagem para a Espanha.

    ResponderEliminar
  5. Adorei a maneira como você retratou essa cidade que parece ser linda! Me deu muita vontade de conhecer, andar calmamente por um lugar tão especial... :) O post está incrível!

    ResponderEliminar
  6. Não conheço Burgos, mas após ver esse post fiquei morrendo de vontade de conhecer.
    parabéns pelas fotos lindas!

    ResponderEliminar
  7. Burgos foi só de passagem até agora principalmente quando vamos a caminho de França desde Portugal. Há que fazer uma paragem nesta cidade parece mesmo muito interessante.
    Obrigado pelas dicas ! Boas viagens !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foi assim que conheci Burgos, numa viagem entre Portugal e França. Como não é algo que faço com regularidade, optei por uma paragem mais demorada e conhecer a cidade. Vale mesmo a pena.

      Eliminar
  8. Que ótimo artigo e belas fotos! A cidade parece linda, bastante vontade de conhecer!

    ResponderEliminar
  9. Já passei por Burgos várias vezes a caminho de outros sítios, mas confesso que nunca visitei a cidade decentemente! Quem sabe para a próxima :)

    ResponderEliminar
  10. que lugar maravilhoso!!! adorei a rua com os plátanos e a praça com as casinhas coloridas, ótimas fotos!!!

    ResponderEliminar
  11. Já tinha ouvido falar que Burgos era lindo de morrer mas pelas tuas fotos encantadoras dá mesmo para perceber isso. Na minha lista enoooorme de viagens :D

    ResponderEliminar