12 de maio de 2016

Museu do Caramulo

Projetado pelos irmãos Abel e João de Lacerda, o Museu do Caramulo inclui  uma importante coleção de arte e automóveis antigos.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
O Museu do Caramulo é o museu onde mais vezes fui. Sempre que havia visitas em casa, no fim de almoço, lá subíamos a serra. Primeiro íamos até ao Cabeço da Neve e depois seguíamos para o Caramulinho. Com a alma alimentada pela visão panorâmica, regressavamos à vila e paravamos no Museu do Automóvel. Há muitos anos atrás, os museus eram independentes. Só mais tarde passou a ser obrigatório adquirir o bilhete conjunto.
Talvez surpreenda num espaço museológico no interior do país mas sempre aqui encontrei muitos visitantes. Hoje vejo algumas pessoas subirem a escadaria contrariadas, manifestando apenas interesse nos automóveis mas acho que acabam por sair satisfeitos. Eu pelo menos saio. Infelizmente, as instalações já conheceram melhores dias, o que não interfere no valor da coleção de arte que contempla núcleos de arqueologia, tapeçaria e pintura, entre outras. O Museu do Caramulo tem uma particularidade: o espólio foi obtido através de doações. Foi assim que o seu fundador, Abel de Lacerda, o pensou.
Eu gosto sobretudo da coleção de faiança, com exemplos portugueses, italianos, espanhóis, chineses e japoneses. Na pintura, o pequeno quadro “A Casa”, de Silva Porto, pintado quando o autor tinha apenas 14 anos, chamou-me a atenção. Também não fiquei indiferente à postura de António Salazar, pintado por Eduardo Malta. Existem também quadros de Vieira da Silva, trabalhos em papel de Ana Hatherly e faiança de Jean Lurçat, Chagall, Miró e Matisse. Mas talvez a obra mais singular seja um pequeno quadro de Picasso, oferecido pelo próprio a Abel de Lacerda, que foi a primeira obra do pintor em Portugal.
Junto à bilheteira, há uma pequena sala que é uma autêntica viagem à infância. São mais de 3000 peças que levam pais a explicar aos seus filhos como se brincava antes do digital. Existem carrinhos, aviões, soldadinhos de chumbo, tendas de circo, objetos de cozinha e até tendas de índios.
No rés do chão deste edifício encontro os primeiros exemplos da coleção de automóveis, motociclos e velocípedes do Museu do Caramulo. Iniciada na década de 50 do século passado por João de Lacerda, é hoje uma das mais antigas do mundo. Também ela tem uma particularidade: todos os veículos estão aptos a circular.
Entrando o segundo edifício, sou tomada por uma memória de infância. Junto à auto-bomba Delahaye 43 CV recordei a tarde de verão em que levantei a camisa do meu tio Zé e dei-lhe uma valente mordidela na barriga. O acontecimento já de si é difícil de esquecer mas ele ainda me ofereceu uma t-shirt com este carro estampado, que durante algum tempo alimentou o meu sentimento de culpa. Hoje recordo o episódio com um sorriso.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
Uma das perguntas que mais se ouvia e ainda se mantém é sobre o carro do Salazar. Mas o que desconhecia é que o Museu do Caramulo possui três carros que pertenceram ao antigo Presidente do Conselho. O Cadillac Série 75 foi o que usou durante toda a vida. O Chrysler Imperial, um automóvel blindado com vidros de 28 mm, foi adquirido após o atentado de 1937 e usado em situações especiais. Por último, o também blindado Mercedes Benz em que Salazar se recusou a andar para não ser associado a Hitler.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
O Rolls Royce – Phantom III é também um carro importante. Pertenceu ao Príncipe de Berar que o utilizou para a caça e adquirido pelo Estado Português para a visita de Isabel II em 1957. Mais tarde, transportou também o General Eisenhower e os Papas Paulo VI e João Paulo II.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
A Bugatti 57 C é um carro especial. Foram apenas produzidas três com carroçaria Atalante e o Museu do Caramulo tem uma exposta.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
O Mercedes Benz 300 SL tem uma característica distinta: devido à altura do chassis, as portas abrem para cima.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
Em geral, todos os carros são imponentes mas há dois que se distinguem pelas reduzidas dimensões. O IPA 300, que se ficou por um protótipo e o Isetta, produzido após a 2ª Guerra Mundial a baixo custo e com a particularidade de a entrada se fazer pela frente do veículo.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
Em criança adorava ver o meu reflexo nos vários automóveis, que me pareciam gigantes e robustos. Hoje prefiro dar mais atenção às suas histórias e ver a reação das pessoas. Desde os mais antigos aos mais contemporâneos, continuam a fazer sonhar como será andar num carro assim.

Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
Museu do Caramulo; Museu do Automóvel Caramulo
Museu do Caramulo
Rua Jean Lurçat, 42
3475-031 Caramulo

0 comentários:

Enviar um comentário