26 de janeiro de 2016

Viagem ao mundo dos tapetes de Arraiolos

Situado na Praça do Município, no antigo Hospital do Espirito Santo, o CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos promove a história, evolução e preservação do bordado arraiolense.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Não sei ao certo quantas vezes estive em Arraiolos mas em quase todas me questionei sobre a origem dos seus tapetes. No final de 2015 passei o S. Martinho no Alentejo e como sabia da existência do CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos agendei uma visita guiada.
O CITA é constituído por quatro coleções. A "Coleção Paróquia de Nossa Senhora dos Mártires" é a primeira. Encontra-se na capela do antigo hospital, onde é possível ver um conjunto de pinturas do século XVI descobertas durante a requalificação do edifício para adaptação ao espaço museológico.
Sigo para a sala de homenagem ao Sub-Tenente Piteira, representado numa pintura de Dórdio Gomes.  A coleção está distribuída pelo museu e é constituída por arte sacra, cerâmica e mobiliário.
No entanto, o meu interesse era saber mais sobre os tapetes. Encontro o primeiro junto ao acesso ao piso superior. O mau estado não invalida o seu valor.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
A imagem da Praça do Município em 2003 revela a existência de uma vasta estrutura de tanques para tingimento de lãs e couros. Julga-se que foram usados por muçulmanos tapeteiros convertidos, deslocados de Lisboa, que após 1496 encontraram em Arraiolos um local com maior tolerância religiosa para se fixarem e continuarem a sua profissão.
Ao contrário dos tapetes muçulmunos que são tecidos em tear, os tapetes de Arraiolos são bordados, o que mostra uma aparente diferença. Digo aparente porque foi um caminho usado pelos muçulmanos convertidos para não serem associados ao islamismo. Talvez seja este o motivo que levou ao aparecimento dos tapetes neste local. No entanto, a referência documental mais antiga aos tapetes de Arraiolos é de 1598.
Há alguns tapetes persas expostos para melhor se compreender as origens decorativas do tapete de Arraiolos. Mantêm as representações com motivos eruditos, o centro definido, o campo e a barra mas são simétricos. Com o tempo, esta influência adquire uma expressão mais popular, em particular no século XIX.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Sigo para a sala dedicada ao tingimento das lãs. Era um trabalho caseiro, feito por mulheres, detentoras das receitas para obterem as várias tonalidades.
A "Coleção Etnográfica" é constituída por um conjunto de objetos associados ao processo artesanal do tapete de Arraiolos. O tear já não é usado mas noutros tempos era aqui tecida a tela. A matéria prima era o linho, daí um conjunto de imagens alusivas ao seu tratamento.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Com o tempo, passaram a usar-se materiais mais grosseiros, o que levou a alterações a nível técnico. Nas telas de linho era possível fazer os contornos com ponto pé de flor mas hoje na serapilheira apenas se usa o ponto de arraiolos. Também o desenho manual foi substituído por um software que faz a marcação dos pontos. Ganhou-se tempo mas perdeu-se valor artístico.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
A D. Jerónima é bordadeira desde os 14 anos. Os quase 50 de experiência permitem-lhe bordar de forma rápida mas minuciosa. Uma bordadeira a trabalhar 8 horas demora entre 12 a 18 dias para fazer um metro quatro. O valor pago ronda os 100€, baixo tendo em conta que é vendido a mais de 200€. Daí o processo de candidatura dos Tapetes de Arraiolos a Património Imaterial da Humanidade de forma a alterar a dinâmica da indústria e preservar a tradição.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Um verdadeiro tapete de Arraiolos vê-se no reverso, nos cantos que aqui estão perfeitos, muito diferentes de imitações feitas noutros locais.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Na parte final do museu estão expostos um conjunto de tapetes desde o século XVII até ao século XXI. Os primeiros com clara influência oriental, com ponto pé de flor e para mim, mais bonitos.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Seguem-se os tapetes de transição com materiais mais grosseiros. A concepção erudita evoluiu para uma mais popular.

CITA - Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
No final da visita, a minha ideia dos tapetes de Arraiolos é completamente diferente da inicial. Por desconhecimento ou desejo de lucro rápido, muitos dos que se encontram à venda não respeitam as regras técnicas e materiais. Pretende-se apresentar quantidade em detrimento da perfeição. Só um cliente conhecedor e informado saberá identificar o genuíno.

Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos
Praça do Município, n.º 19
7040-027 Arraiolos

0 comentários:

Enviar um comentário