26 de outubro de 2015

A nova vida dos mercados: mercado de Algés

Mercado de Algés
Indo de encontro à “moda” do comer, dos chef’s, das receitas das avós e dos cadernos deixados como heranças, também o mercado de Algés foi renovado para atrair foodies. Contrariamente ao de Campo de Ourique e Ribeira, aqui não vejo turistas. Quando deixo de prestar atenção aos vários ecrãs de televisão onde passam programas relacionados com culinária (este é apresentado pelo Curtis Stone) constato uma realidade que me surpreende. Onde espero ver gente jovem, hipsters com a barba cuidada e camisa abotoada encontro gente local que vem conhecer o novo espaço do “bairro”. Atrás de mim, e para meu espanto, duas septuagenárias comem uma pizza.

Mercado de Algés
“Comer. Beber. Amar. O melhor lugar para estar.” É este o lema do mercado. Discordo. Além do ruído dos ares condicionados , há a música que vem do palco, o movimento das lojas, num dia onde não estão duas dezenas de pessoas. Nem quero imaginar quando estiver cheio.

Mercado de Algés
Dou uma volta pelo espaço para ver as ofertas. Como ainda é relativamente cedo para jantar, não há grande movimento. No Atalho do Mercado limpa-se e torna-se a limpar as bancadas, vidros e demais objetos. Como já os conheço do Mercado de Campo de Ourique prossigo caminho. No Peixe ao Balcão encontro propostas interessantes mas vou deixar para uma experiência mais completa numa próxima ida a Santarém. Os amantes de comida mexicana encontram carnitas, chilli e frijoles no Walkamole. O nome Chicken All Around revela ao que se vai mas gostei da ideia da janela para entregas sem haver necessidade de entrar no mercado. Natábua há opções diferentes, como a carne de javali, veado e cavalo. Mais comedida na escolha, peço um naco na tábua de alheira de caça, ovos de codorniz e alface (6,90€) acompanhado de batata frita (1,50€). O bolo do caco (que também está na moda) estava fofo e valeu por si. Quanto ao resto, a alheira fria, os ovos frios e demasiado passados e as batatas murchas e sem cor. A pitada de orégãos deu-lhes um toque de sabor mas não as salvou. Tal como no mercado de Campo de Ourique, as bebidas são servidas à parte.

Mercado de Algés
Para terminar a refeição, uma bola de gelado no Artisani seria o ideal mas sinto o ar tão quente e o espaço tão pequeno que prefiro sair. Cá fora, as duas esplanadas continuam cheias e animadas. Talvez fosse melhor opção.

0 comentários:

Enviar um comentário