11 de outubro de 2015

A nova vida dos mercados: Campo de Ourique

Mercado de Campo de Ourique
Quando foi renovado em 2013, escolher uma sexta feira à noite para conhecer o mercado de Campo de Ourique não foi a melhor opção. Além de andar a apalpar terreno a conhecer as ofertas disponíveis, senti que faltavam mesas para tantas pessoas que vieram atraídas pelo novo conceito.
Regresso dois anos depois, desta vez para almoçar. É meio dia mas algumas mesas, bem no coração do mercado, já estão ocupadas. Este é um dos elementos que o distingue dos demais: aqui está-se mesmo no centro, entre bancas de legumes e frutas apetitosas. Não sei se trouxe alguma mais valia para os antigos comerciantes mas pelo menos há mais gente e novas dinâmicas.

Mercado de Campo de Ourique
Ao contrário do que esperava, há bastantes turistas. Basta recordar a fila para apanhar o elétrico 28 e já se percebe como aqui chegam. E pelo olhar, não ficam nada desapontados. São sobretudo franceses e espanhóis, casais jovens, alguns com filhos. Percebem rapidamente o funcionamento: um fica a guardar mesa e os outros vão percorrer o espaço e escolher o que querem.
Tal como noutros lugares, aqui também se vive a moda das “arias”, dos aventais e dos bonés. Alguns vão mesmo mais além neste conceito e têm verdadeiros hipsters atrás dos balcões. Mas voltemos às “arias”. A hamburgaria é um clássico mas apesar da carne ser grelhada no momento as batatas fritas são de pacote. Mais adequado ao estilo de novo mercado, onde se procura estar, conversar e picar há a petiscaria (recomendo a salada de polvo e de orelha de porco) e a charcutaria (com queijos, enchidos e azeitonas). Ainda no mesmo espírito há a marisqueira, de onde saem os camarões mas sobretudo as ostras. De diferente encontro a empadaria, com empadas e croquetes e a carpaceria, com carpaccios e bruschettas.

Mercado de Campo de Ourique
Como procuro algo mais substancial, vou ao Atalho do Mercado. Há várias opções de carne, tudo grelhado no momento. Uma é a carne maturada mas o que me apetece mesmo são uns secretos acompanhados de batata frita quentinha e salada (9€).

Mercado de Campo de Ourique
Não me recordo se da primeira vez havia tabuleiros para transportar a comida até às mesas mas desta vez não. Não me parece nada funcional, especialmente se tivermos em conta que as bebidas são compradas à parte.

Mercado de Campo de Ourique
Para sobremesa não me agrada nenhuma das tartes do Depois e muito menos a oferta da Casa dos Ovos Moles. Atravesso a estrada para buscar uma fatia do Melhor Bolo de Chocolate do Mundo (2,5€). Um casal de japoneses não para de olhar com ar intrigado. Levantam-se e sentam-se entre cochichos mas não conseguem perceber onde a fui buscar. Não me perguntam e eu também não me descoso. É caso para dizer: “Ovelha que (não) borrega, bocado que perde.

Mercado de Campo de Ourique
Rua Coelho da Rocha
1350-075 Lisboa

0 comentários:

Enviar um comentário