21 de maio de 2015

Viagem gastronómica em Sarlat-la-Caneda

O mercado de Sarlat é considerado um dos melhores de França. Aqui o foie gras é rei mas há outros produtos locais a descobrir.

Mercado coberto de Sarlat
 
Em certas viagens tenho a sorte de me cruzar com pessoas que lhes acrescentam um enorme valor. Não sei se foi o meu olhar curioso ou o ver-me tomar notas que levou um senhor de rosto sorridente e cabelo grisalho a chamar-me.
 
- De onde és? – pergunta.
- De Portugal.
- Ah, Portugal… Eu sou espanhol e aqui sou conhecido pelo Basco. – disse com visível orgulho.
- Parei em Bilbao a caminho de França. Gostei muito. É tudo tão verde.
- Se procuras conhecer os produtos da região tenho aqui algumas coisas de que vais gostar.
 
De repente, começa a estender-me caixas de bolachas de noz, muito finas e crocantes, onde o sabor deste produto da terra se sente bem. Depois foi a vez de dois tabuleiros de nozes cobertas com chocolate, que se não estivessem partidas, passariam facilmente por amêndoas.
 
Mercado coberto de Sarlat
 
- Então, que tal?
- Muito bom mas gostei mais das bolachas. São menos doces. – respondi.
- Antes de ires, vais ter de provar outra coisa. Vou tapar o rótulo e tens de adivinhar o que é.

Arregalei os olhos quando o vi encher um copo de plástico com o que me pareceu um licor. Era demasiado cedo para enveredar por estes sabores.

- Vá, bebe e diz-me de que achas que é.
 
Àquela hora da manhã pareceu-me demasiado forte para ter opinião mas lancei dois nomes para o ar:
- Ou é licor de noz ou de trufa. Acertei?
- Sim, é de trufa. Chega aqui para te mostrar uma coisa.
 
Mercado coberto de Sarlat
 
Coisa não era a palavra certa. Estava perante uma trufa enorme, com 1,277 kg, das maiores alguma vez encontrada na região. O Basco tem-a sempre em exibição dentro de uma caixa de vidro na sua bancada mas gosta de dar uma imitação em borracha e só depois desvenda que é a fingir.


Seleciono um conjunto de produtos para levar e que vou oferecer. Despeço-me do Basco, não sem antes levar um cartão.
 
- Este restaurante é meu. Se passares por aqui para e diz que me conheceste no mercado. Vais ver que serás muito bem atendida.
 
Agradeço a atenção e simpatia e sigo para outras bancas. Sinto-me maravilhada pela descoberta destes produtos, alguns completamente meus desconhecidos. Das nozes não se fazem apenas doces, como os licores, as bolachas e os bolos: há também o vinagre e o óleo, geralmente vendidos em garrafas de vidro de 25cl ou 50cl.
 
Mercado coberto de Sarlat
 
Já não é época da trufa e não vejo o produto fresco mas como na cozinha o mais importante é o sabor, encontro alguns frascos de mostarda e sal de trufa.
 
O foie gras está presente em quase todas as bancas já que na região existem várias quintas de produção de patos e gansos. Não faltam os enlatados com pernas de pato confitadas, os blocos de foie gras e até bolo de figo e foie gras. O que me surpreende é a combinação do figo recheado, que se desfaz na boca de tão macio.
 
Figo recheado com foie gras; Mercado coberto de Sarlat
 
Termino nos cogumelos de várias espécies, tamanhos e cores. Vendem-se frescos, expostos em cestos de vime ou secos, prontos a levar em bonitos saquinhos.

As grandes portas negras do mercado coberto de Sarlat podem intimidar mas no seu interior não faltam motivos para me perder pelos sabores da região. Imperdível para gourmands e não só.

0 comentários:

Enviar um comentário