4 de março de 2015

Do jardim para o convento


Localizado no Bairro Alto, em Lisboa, o Convento de São Pedro de Alcântara reabriu as portas em Novembro de 2014.

Convento de São Pedro de Alcântara

Sempre que há eventos que me permitem ver algum património de acesso restrito é difícil deixá-los escapar. Já conhecia o Convento de São Pedro de Alcântara de um ciclo de concertos mas quando soube que ia reabrir, agendei logo uma visita. Após obras de requalificação, a Santa Casa da Misericórdia abriu a todos a possibilidade de visita livre à igreja e capela dos Lencastres ou guiada (2,5€) a outras dependências. Como sou interessada nestas matérias optei pela segunda. Afinal, porque haveria de vir com “a missa a metade”?
Na génese do Convento terá estado uma promessa que D. António Luís Menezes, 1º Marquês de Marialva, fez a São Pedro de Alcântara durante a Guerra da Restauração. A primeira pedra foi colocada em 1680.

Convento de São Pedro de Alcântara

Entro na igreja de nave única, com três confessionários embutidos de cada lado. Mas são os painéis de azulejos que chamam a atenção. Felizmente estão em bom estado e merecem que invista algum tempo a observá-los. Retratam a vida de São Pedro de Alcântara, como a sua ordenação, a fundação de conventos, as tentações, os milagres, a aparição de Nossa Senhora e o trânsito final.

Convento de São Pedro de Alcântara

Após passar pela capela-mor, que dá acesso ao jazigo onde está sepultado o 2º Marquês de Marialva, passo para a sacristia. Não é tão opulenta como a da Igreja de São Roque mas eu gostei: além dos arcases do século XVII, tem pinturas da autoria de Bento Coelho da Silveira e no teto um querubim com vários elementos ligados à liturgia.

Convento de São Pedro de Alcântara

Atravesso a sala do brasão e subimos ao coro alto. Apesar da pouca luz, é evidente que ainda há muito trabalho de restauro a fazer mas as coisas são mesmo assim. O dinheiro não dá para tudo e devagar se vai ao longe.
Regresso ao exterior para a cereja no topo do bolo. A Capela dos Lencastres é uma obra maravilhosa, toda forrada a mármore embutido mas onde apenas resta um Cristo crucificado. Assim que entrei, lembrei-me de imediato do Museu de Aveiro onde se encontra o túmulo de Santa Joana. Ao ler a placa informativa senti-me satisfeita: não só a memória não me atraiçoou como constatei que o arquiteto foi o mesmo. Há dias assim!

Capela dos Lencastres; Convento de São Pedro de Alcântara
Convento de São Pedro de Alcântara
Rua Luísa Todi, 1-11
1200 Lisboa

0 comentários:

Enviar um comentário