13 de janeiro de 2015

Nas Caves Graham’s

Na encosta de Vila Nova de Gaia, com uma vista privilegiada sobre o Douro e o Porto, as Caves Graham’s guardam vinhos que envelhecem ao sabor da passagem do tempo.

Caves Graham's; caves do vinho do Porto

A ligação de Vila Nova de Gaia ao vinho do Porto é indiscutível. Apesar das várias caves aqui existentes, na hora de selecionar a que visitar, a escolha recaiu sobre a Graham’s. Um edifício recentemente renovado e a história de duas famílias ligadas ao vinho não podiam desiludir.
Após adquirir o bilhete, que inclui desde uma prova clássica a vinhos selecionados, iniciei a visita pelo espaço museológico. Para além de objetos de trabalho, um conjunto de preciosidades e documentos atestam a presença destes vinhos em momentos históricos.
Descendo às caves, o ambiente gera uma avalanche de emoções. Onde esperava encontrar silêncio e penumbra, vi um constante circular de pessoas, vozes e flashes. Os vinhos, esses, parecem estar já habituados e não se deixam perturbar no seu processo de envelhecimento.
Para além da zona de pipas e balseiros, percorri a garrafeira com cerca de 20 mil garrafas. Foi pena não ter um pouco mais de tempo para espreitar por entre as grades e descobrir vinhos e datas especiais.

Caves Graham's; caves do vinho do Porto

Produzidos a partir de uvas portuguesas oriundas da maior região de montanha vinícola do mundo, o seu processo de fermentação é interrompido e adicionada uma aguardente vínica. São posteriormente transportados para Vila Nova de Gaia, onde estagiam, dando origem a vinhos de excepcional qualidade.
Existem vários tipos de Porto. O ruby envelhece em balseiros e pode ser servido como entrada ou digestivo, à temperatura ambiente. É indicado para acompanhar queijos fortes, chocolates amargos e frutos vermelhos.

Caves Graham's; caves do vinho do Porto

O tawny é um vinho diferente.  Envelhece na pipa, tem um sabor a madeira mais intenso e deve servir-se ligeiramente fresco. Os doces são o acompanhamento ideal.
Ambos estão prontos a consumir assim que são engarrafados e após abertos conservam-se em boas condições nos próximos meses.

Caves Graham's; caves do vinho do Porto

Os vintages são a cereja no topo do bolo, apenas conseguidos em anos excecionais. O potencial de envelhecimento é de várias décadas e a sua raridade contrasta com a celeridade com que deve ser consumido. Degustar este néctar, é por si só, um momento especial.
Após a visita percebi que os vinhos do Porto são o resultado de um trabalho árduo, de um saber fazer e da espera paciente pelo momento certo. Passei a distingui-los e por isso a minha passagem pela loja ficou facilitada. Afinal, era uma compradora informada. No exterior, sentei-me um pouco na esplanada. Por quê desperdiçar uma vista sobre o Douro, a Ponte D. Luís e a invicta cidade?

0 comentários:

Enviar um comentário