11 de março de 2014

Enoturismo na Quinta do Gradil


Com mais de 500 anos de História, a Quinta do Gradil é considerada uma das maiores produtoras de vinho do concelho do Cadaval, com uma forte aposta no enoturismo.

Enoturismo na Quinta do Gradil

É impossível passar na Estrada Nacional 115, em Vilar, e ficar indiferente à imensidão de vinhas, que apesar de nesta altura do ano se encontrarem despidas das suas folhas, em nada perdem de beleza. O sinal à entrada da quinta proíbe as velocidades, mas com uma paisagem como esta, a calma é obrigatória.

Enoturismo na Quinta do Gradil; vinhas na Quinta do Gradil

Entro no Restaurante Quinta do Gradil, que abriu portas em Agosto do ano passado. O relógio marca 15h em ponto. Ao lado, um quadro com uma frase espirituosa: “Quando o vinho entra, os segredos saem”.  Este antigo celeiro, atualmente integrado no edifício da adega, está decorado com muito bom gosto, destacando-se os dois grandes alambiques em cobre. A lareira acesa, o conforto das cadeiras e a visão para as vinhas quase fazem não apetecer folhear os vários livros acerca da matéria predileta de Baco: o vinho.  Não provei os seus pratos de cozinha típica portuguesa mas a promessa de voltar ficou feita. Inicio então a visita à quinta.


De frente para a fachada, percebo melhor a localização privilegiada  da Quinta do Gradil: a este situa-se a Serra do Montejunto e a oeste, num raio de  12 quilómetros, o oceano Atlântico. Ao redor, uma imensidão de vinhas, até onde o olhar se perde. Já no século XVIII, propriedade do Marquês de Pombal, onde gostava de passar a “estação calmosa” era produtora de vinho, mas atualmente possui também um eucaliptal e pomar de pêra rocha.
Infelizmente, do palacete apenas se conserva a fachada. O interior foi demolido, dada a inexistência de condições de segurança mas pretende-se proceder à sua recuperação, ainda com destino incerto. A capela, dedicada a Santa Rita, é atualmente habitada por duas corujas que aqui encontram o silêncio adequado a uma vida pacata…e pelo seu painel, que não foi retirado.

Enoturismo na Quinta do Gradil; Capela da Quinta do Gradil

Subi a uma pequena cisterna e aí sim, tenho a verdadeira noção do que significam 120 hectares de vinha. Aqui cultivam-se 22 castas, entre brancas e tintas, nacionais e estrangeiras. A esta produção ajuda a boa localização, com as encostas inundadas de sol e as características do solo. A adega da Quinta do Gradil é essencialmente industrial, com grandes cubas de inox, que permitem uma temperatura controlada.


Desço e percorro todo o processo de vinificação: vejo o desengaçador, a prensa, as cubas e até os grandes depósitos de cimento da antiga adega, que neste dia, estão a ser pintados. Sempre que necessários, continuam a ser utilizados. O produto final segue em camiões cisterna para Alcobaça, onde é engarrafado.
A minha viagem enoturistica termina na loja, onde estão à venda todos os produtos aqui produzidos: os vinhos Castelo do Sulco, os vinhos Quinta do Gradil (tintos, brancos, rosé, espumante e edições especiais limitadas), o azeite extra virgem, as compotas e a Quinta do Gradil Aguardente XO.

Enoturismo na Quinta do Gradil

Quinta do Gradil-Sociedade Vitivinícola, SA
Estrada Nacional 115 Vilar
2550 - 073 Vilar – Cadaval
www.quintadogradil.pt

2 comentários:

  1. Que gira a Quinta, tenho tanta pena de não gostar de vinho porque acabo sempre por não disfrutar de este tipo de programas.

    ResponderEliminar
  2. Olá Marta: também tenho as minhas limitações no que toca ao vinho mas não deixo que isso afete o meu interesse por visitar locais como este.

    ResponderEliminar