12 de julho de 2013

Gent: a cidade das 3 torres


Situada entre Bruxelas e Bruges, Gent é uma cidade universitária belga repleta  de pequenos tesouros. É por muitos considerada um dos locais mais bonitos da Flandres.

Gent; cidade universitária de Gent; Bélgica;

Quando começamos a preparar a nossa viagem à Bélgica, ouvimos falar pela primeira vez numa cidade que tem ficado injustamente na sombra de Bruges: Gent apenas se fica atrás no número de turistas que atrai, mas arriscamos dizer que será uma tendência que rapidamente se irá inverter. Há uma (saudável) rivalidade entre ambas percepcionada através das várias conversas que tivemos com alguns habitantes locais, que falam orgulhosamente da sua cidade: “Bruges é bonita mas Gent é muito mais.”

Chegamos à estação de comboios Gent-Sint-Pieters vindos de Antuérpia já ao fim da tarde. Quando saímos, vimos um estacionamento de bicicletas verdadeiramente impressionante, muito comum nas cidades do norte da Europa. Faça sol, chuva ou neve, é o transporte diário habitual de centenas de pessoas para chegarem à estação e apanharem o comboio para os locais de trabalho. Optamos por ficar num hotel perto da estação de modo a termos mais facilidade de nos deslocarmos. Como a rede de elétricos é muito boa, rapidamente estamos no coração da cidade.

Chegamos ao Hotel Astoria, gerido por um casal na casa dos 40 anos: ele de Gent e ela de Bruges. Deixamos as malas, compramos no hotel o CityCard Gent e apanhamos o elétrico para o centro. Quando passamos novamente junto à estação de comboios, entram vários estudantes que regressam do fim de semana. Não há muita gente nas ruas mas as esplanadas estão ocupadas por jovens que bebem cerveja. Para fazer face às baixas temperaturas, muitas cadeiras têm pequenas mantas de lã para embrulhar as pernas e espantar o frio.

O dia seguinte começa cedo. A Catedral de São Bavo (Sint-Baafskathedraal) abre às 8h30 por isso é aí que iniciamos a nossa visita. Reparamos logo que os bancos corridos de madeira são substituídos por cadeiras de plástico. Possui cerca de 20 altares e um púlpito estilo rococó em mármore e carvalho. Mas o verdadeiro tesouro é o políptico “Adoração do Cordeiro Místico” dos irmãos Van Eyck. Existe uma imitação numa capela, que pode ser vista e que é usada por guias que trazem aqui os seus grupos e fazem explicações mais ou menos detalhadas. Quem quiser pode ver o original que está numa sala à parte, vigiada e com controle de temperatura.

Catedral de São Bavo; Sint-Baafskathedraal; Adoração do Cordeiro Místico; Van Eyck; Bélgica; Gent; Flandres

Saímos para a Praça Sint-Baaf (Sint-Baafsplein) no coração de Gent. Para além da catedral, é aqui que está a companhia de teatro NTGent, o campanário (Belfort), restaurantes, lojas de souvenires e chocolaterias.

Atravessamos a praça e entramos num dos símbolos da cidade: o campanário de Gent (Belfort) que faz parte da lista de Património da Humanidade da Unesco. Para além da torre de vigia,  do carrilhão de 52 sinos, é o local ideal para uma vista sobre a cidade.


Falta-nos apenas visitar a última torre na Igreja de São Nicolau (Sint-Niklaaskerk), padroeiro dos comerciantes. Data do século XIII e foi construída em pedra de Tournai. Tem a particularidade da sua torre estar ao centro, o que lhe permite uma maior iluminação natural. Houve um senhor que estava a ler, reparou em nós e nos abordou. Quando lhe dissemos que eramos de Portugal, esboçou um sorriso e disse-nos que conhecia muito bem. Nomeou algumas cidades, assim como os vários clubes de futebol.

Igreja de São Nicolau; Sint-Niklaaskerk; Gent; Bélgica; Flandres; As torres de Gent

Passamos ao lado do Post Plaza, antigo palácio neogótico e sede dos correios e que agora é um pequeno centro comercial e seguimos até à Casa da Carne ( Vlesshuis),  de onde pendem presuntos do teto. O cheiro é intenso. Na praça (Groentenmarkt) realiza-se todas as sextas-feiras o mercado de produtos biológicos. Não podem perder as 3 lojas que vendem produtos gourmet, em especial a mostarda. Mesmo em frente, há um carrinho ambulante com os tradicionais narizes de Gent: um doce feito à base de frutos vermelhos.

Groentenmarkt; Casa da Carne; Vlesshuis; Nariz de Gent; nose of Gent

Canais em Gent

Atravessamos a ponte e seguimos até ao Castelo de Gent (Gravensteen) na Sint-Pietersplein. Apesar de não ser muito alto, permite uma visão da cidade. Quer as muralhas quer o interior estão muito bem conservados. É possível visitar o museu da tortura e a guilhotina original.

Castelo de Gent; Gravensteen; Sint-Pietersplein; Gent; Bélgica; Flandres

Seguimos pela rua Kraanlei e desfrutamos com calma tudo o que tem para oferecer: cervejarias, pequenas lojas gourmet, cafés com as suas esplanadas e floreiras à beira do canal. Não devem perder o Museu Het Huis van Alijn com a sua coleção de objetos do quotidiano. Ergam o olhar e reparem nas fachadas bem cuidadas e nos pormenores da decoração urbanística. Percam-se pela várias ruelas até chegar à Vrijdagmarkt onde ao centro está a estátua de Jacob van Artevelde. Se não for dia de mercado, poderão contemplar melhor os vários edifícios do século XVIII. É provável que encontrem a Igreja Sint-Jacobskerk fechada mas não deixem de passar por lá.

Cervejas em Gent

Vrijdagmarkt; Jacob van Artevelde; Bélgica; Gent; Flandres

Regressem ao Graslei, onde poderão almoçar num dos vários restaurantes à beira do canal ou aproveitar para um passeio de barco. Olhem para cima. É o melhor local para ver a Ponte de São Miguel (Sint-Michielsbrug). No regresso passem pela Igreja com o mesmo nome onde está o famoso quadro “Cristo na Cruz” de Antoon Van Dyck.

Igreja de São Miguel; Sint-Michielsbrug; Gent; Bélgica; Flandres
Graslei; Ponte de São Miguel; Sint-Michielsbrug; Gent; Bélgica; Flandres

Numa cidade universitária, é obrigatório visitar St. Pietersplein. A Igreja de Nossa Senhora de São Pedro (O.L.V.-Sint-Pieterskerk) foi construída no século XVII e o seu arquiteto, Pieter Huyssens inspirou-se nas igrejas renascentistas italianas. Ao lado fica o Centro de Artes da Abadia de São Pedro que recebe várias exposições temporárias. O claustro medieval vale uma visita.

Igreja de Nossa Senhora de São Pedro; O.L.V.-Sint-Pieterskerk; St. Pietersplein; Pieter Huyssens
Igreja de Nossa Senhora de São Pedro; O.L.V.-Sint-Pieterskerk; St. Pietersplein; Pieter Huyssens

Dadas as dimensões da praça, é usada com frequência para eventos. As esplanadas estão ocupadas por grupos de estudantes, já que a Universidade de Gent e a sua famosa torre (Boekentoren) com 24 andares fica já aqui ao lado.

Das várias zonas em que a cidade está dividida, um dia é muito pouco para a conhecer. Passamos pelo Torens, Graslei, Gravensteen, Vrijdagmarkt e St. Pietersplein. Por ver ficaram os grandes museus de Citadelpark, as zonas verdes do Zuid, o mercado das flores do Kouter ou a marina no Portus Ganda.

2 comentários:

  1. Quando fui á Bélgica fiquei com pena de não passar por aqui, gostei muito da reportagem e acho que tenho mesmo que voltar e visitar Gent.

    ResponderEliminar
  2. Olá Marta: adoramos Gent. É uma cidade muito bem cuidada que ainda não tem um turismo de grandes grupos. Nós também temos vontade de voltar.

    ResponderEliminar